• LuZenerato

Exercícios físicos, preciso mesmo?

Devo confessar, não sou a maior fã de exercícios físicos. E olha que já fui proprietária de uma academia, um dia conto melhor essa história.


Meu marido adora fazer exercícios, sempre foi um sujeito animado, motivado, para as atividades físicas. Vôlei, andar de bicicleta, musculação, caminhada, capoeira, kung-fu, pilates, enfim, perdi as contas de quantas atividades ele fez e faz, e sempre tentando me incentivar a fazer também.


Tenho uma academia em casa, equipamentos herdados da academia que fechamos, e mesmo assim tenho uma preguiça imensa de ir à academia, a tal que fica na minha casa, ao lado da cozinha.


Tudo bem, uma coisa é vontade e outra necessidade. Com o tempo, fui entendendo que não posso fazer apenas as atividades que me dão prazer, preciso fazer também o que é necessário, disso depende a minha saúde e qualidade de vida, e entre essas necessidades estão uma boa alimentação e exercícios físicos.


Os exercícios não trazem benefícios apenas para o corpo, no sentido estético, são importantes para a prevenção de doenças, a melhoria do sono, o controle de peso, o aumento da força muscular e da flexibilidade e, por consequência, a eficiência na mobilidade com o avançar da idade, além de liberar hormônios que ajudam na felicidade.


Na modesta pretensão de ser feliz e ainda ter todos esses benefícios agregados, já que não é uma boa opção ficar parada, fiz uma busca sobre modalidades de exercícios que pudessem me agradar, me dar um ânimo extra para esse hábito saudável.


São muitas opções!


Mais importante do que uma modalidade específica, é encontrar uma que você realmente tenha motivação para praticar. Quando o exercício virar um hábito, se tornará mais fácil incluir outras modalidades mais indicadas para a sua saúde.

Vou compartilha algumas opções, quem sabe não nos motivamos juntos nessa jornada.


Zumba, balé, jazz, dança de salão, hip hop, ou qualquer modalidade de dança. Acredito que elas liberam um tiquinho a mais de felicidade do que as modalidades convencionais, como tudo o que envolve música.

Com certeza um jeito divertido de se movimentar!

Se você não é um tipo muito dançante, as artes marciais podem ser bem interessantes: kung-fu, muay thai, capoeira, caratê, judô. Opções bem diferentes das mais tradicionais como musculação ou natação.


Se você prefere algo eficiente, porém mais suave, temos ainda a Yoga, o pilates, o tai chi chuam. São atividades de bastante concentração, que movimentam o corpo e ajuda na força, equilíbrio e flexibilidade.


Prefere ainda algo ao ar livre? Que tal bicicleta ou caminhada? São opções gostosas para fazer acompanhado, trazendo o prazer de uma boa companhia.


Pois é, não temos motivo para não se movimentar. Entendendo a importância do movimento na nossa vida, com tantas opções, podemos encontrar uma que se encaixe no nosso perfil e, devagarinho, mas não muito, fazer dos exercícios um hábito.


Sigo tentando, estou praticando pilates e acrescentei uma leve caminhada diária na esteira, tentando fazer disso um hábito, para aumentar aos poucos e, quem sabe daqui a alguns meses, me tornar uma frequentadora assídua da minha academia caseira.


Te conto depois se deu certo!

130 visualizações0 comentário