• LuZenerato

Esclerose Múltipla

Agosto é o mês da conscientização da Esclerose Múltipla (EM), conhecido como “Agosto Laranja”.

Fui diagnosticada em 2008 com a esclerose múltipla, e entendo a importância de informar as pessoas sobre essa doença que hoje afeta cerca de 35 mil brasileiros, sendo a principal causa de incapacidade não traumática em adultos jovens.


Por isso quero deixar aqui a minha contribuição para o momento, pois acredito que o acesso à informação poder ajudar a antecipar diagnósticos, evitando danos maiores por falta de tratamento adequado, além de ajudar a compreender a realidade de quem convive com a EM.


Mas o que é Esclerose Múltipla?


É uma doença autoimune que atinge o sistema nervoso central. O sistema imunológico ataca a camada protetora que envolve os neurônios, chamada mielina, e atrapalha o envio dos comandos do cérebro para o resto do corpo.

Importante saber que a Esclerose Múltipla não é contagiosa, não é suscetível de prevenção e também não tem cura até o momento.


O tratamento consiste em atenuar os sintomas, tentando evitar ou desacelerar a progressão da doença.


Quais os sintomas da Esclerose Múltipla?


Os sintomas são muitos e diferentes de uma pessoa para outra, pois dependem da área do sistema nervoso central que foi afetada pela esclerose.

Vou citar alguns mais comuns:


Fadiga, alterações na fala, dor, transtornos visuais, problemas de equilíbrio e de coordenação, dificuldades de marcha, tremores, vertigens, fraquesa muscular, formigamento, transtornos cognitivos, entre outros.


É importante reforçar que são muitos os desafios enfrentados por quem convive com a doença, além da dificuldade em compartilhar sentimentos. Por isso, o diálogo aberto e sincero com as pessoas próximas, familiares e amigos, ajuda a manter a qualidade de vida, facilitando a compreensão múltua na convivência com a EM


24 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo