• LuZenerato

A força da Assertividade

Sentir desconforto ao cobrar alguém por um erro, ou ainda por algo que incomoda. Um sentimento forte, intenso, como se não houvesse direito de causar qualquer constrangimento por meio da fala, mesmo com a razão clara sobre a correção aplicada.


Entendo bem como é se sentir assim!

Não digo que gosto de bajular as pessoas ou acobertar erros, mas usar palavras rudes, pesadas ou gritadas, nunca me trouxe realização, mesmo que para obter resultados importantes.


Passei a vida escolhendo palavras para dizer o que era necessário, tentando sempre manter a gentileza, independente da situação.


Esse desconforto era cobrado por muitos como falta de atitude. Alguns profissionais de desenvolvimento de carreira chegaram a classifica-lo como uma fraqueza, uma necessidade de querer sempre ser aceita pelo outro. Mas a questão não era ser aceita, era não querer me tornar alguém que eu não gostaria de ser.


Durante algum tempo realmente acreditei que era uma fraqueza. Tentei de todas as formas mudar o meu jeito. Ensaiei caras feias, gritei palavrões para o espelho, mas o fracasso era total.


Além de não me reconhecer, não demonstrava a rigidez esperada pela ação, sendo difícil ser levada a sério.


O fato é que esse desconforto e o tentar ser o que não me representava, atrapalhava a carreira e a minha vida pessoal.


Depois de muito brigar comigo mesma e com o espelho, decidi buscar alternativas. Descobri que não era necessário deixar de ser eu mesma. Transformar o desconforto em força era uma possibilidade, bastava usar a assertividade como ferramenta.


Ser assertiva também não é tarefa fácil, requer esforço e intensão, mas apresenta resultados satisfatórios.


Entendo agora que é possível ser respeitada e atendida sem causar constrangimento nem ao outro, nem a mim mesma, utilizando bem as palavras, com assertividade e gentileza.


Afinal, quer lições maiores do que as aplicadas em forma de poema?

36 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo